História da Marca Mercedes

História das Marcas

08 Janeiro

1799


História da Marca Mercedes

Mais de um século de história
Há mais de 100 anos que a Mercedes-Benz tem sido a marca mais inovadora do mundo automóvel. Quando a Daimler-Motoren-Gesellschaft (DMG) entregou o seu primeiro Mercedes, a 22 de dezembro de 1900, deu início à formação da Daimler AG, no final do século XX.

Hoje, a Mercedes-Benz é considerada a marca mais bem sucedida no mundo automóvel. O seu nível de perfeição técnica, normas de qualidade, e numerosos automóveis lendários, como os 300 SL Gullwing, são inigualáveis. A estrela da Mercedes tornou-se no símbolo mais famoso de todos os automóveis e é considerada uma das marcas mais conhecidas do mundo.



Fundadores da marca
Em meados de 1880, Gottlieb Daimler e Karl Benz inventaram, independentemente um do outro, o motor de alta velocidade e o automóvel. Foi o lançamento das bases para os transportes motorizados. Com a ajuda de apoios financeiros e parceiros, Gottlieb e Karl trabalharam no desenvolvimento das suas próprias empresas. Em Outubro de 1883, Benz fundou a Benz & Co., em Mannheim, enquanto que a Daimler-Motoren-Gesellschaft (DMG) foi fundada em Novembro de 1890, em Cannstatt.



Ambas as empresas pretendiam criar uma marca memorável, para que os seus produtos fossem distintos e conhecidos. Inicialmente optaram pela utilização dos seus nomes próprios - Benz e Daimler - para representar a origem e a qualidade dos seus motores e veículos. Mas enquanto que a marca Benz & Cie. não sofreu alterações (embora a roda dentada utilizada em 1903 foi substituída por uma coroa de louro à volta do nome Benz), na transição do século, os produtos DMG apareceram sob a nova marca Mercedes.



Nome
Mercedes é um nome feminino, tipicamente espanhol que significa "misericórdia". Mercedes era também o nome da filha do empresário austríaco, Emil Jellinek, que em 1889, viveu em Baden, perto de Viena e em Nice.



Emil Jellinek
Emil Jellinek, era um deputado progressista interessado em desporto e um defensor entusiasta do progresso técnico e do automóvel. Estava convencido de que o automóvel seria capaz de transformar o futuro. Em 1897, quando viajou para Cannstatt, encomendou a construção do seu primeiro automóvel Daimler, um veículo de seis cavalos impulsionado por uma correia com um motor de dois cilindros.

Depois de ter entregue em Outubro de 1897, o carro com a velocidade máxima de 24 km/h, na opinião Jellinek, este era demasiado lento. Pretendia que a velocidade máxima fosse de 40 km/h e por esse motivo, encomendou dois modelos Daimler Phoenix com motor de apoio dianteiro de 8 cavalos. Em Setembro de 1898, estes dois carros foram entregues e foram os primeiros equipados com um motor de quatro cilindros.

Como empresário
Emil Jellinek sempre desfrutou de boas relações com personalidades ligadas aos mercados financeiros internacionais e à aristocracia. Em 1898, começou a vender automóveis Daimler aos membros da alta sociedade. Em 1899, a Daimler-Motoren-Gesellschaft (DMG) já tinha entregue dez veículos a Jellinek e em 1900 sofreu um aumento para os vinte e nove.

Jellinek insistiu com a DMG para que produzisse veículos mais rápidos e potentes, a partir de 1899, entrou em corridas com eles, tal como sucedeu na Semana de Nice. Nessas corridas entrava sob o pseudónimo "Mercedes", nome da sua filha de dez anos. Apesar do nome se ter tornado mais conhecido entre os amantes automóvel, inicialmente Jellinek só o utilizou como o nome da equipa e não como uma marca.

No início de Abril de 1900, a DMG e Jellinek celebraram um acordo relativo à venda e distribuição de carros e motores Daimler. Quando a decisão foi tomada para desenvolver um novo motor com a designação "Daimler-Mercedes", o pseudónimo de Jellinek também se tornou num nome de produto. Duas semanas mais tarde, Jellinek encomendou 36 veículos por um preço total de 550.000 marcos – o que equivale hoje em dia, a cerca de três milhões de euros. Semanas mais tarde, voltou a encomendar 36 veículos, todos eles com motores de oito cavalos.

O primeiro automóvel
A 22 de Dezembro de 1900, a Daimler-Motoren-Gesellschaft entregou a Jellinek o primeiro carro de corrida equipado com um novo motor de 35 cavalos. Este primeiro "Mercedes", desenvolvido por Wilhelm Maybach, Engenheiro Executivo de Design na DMG, provocou um grande furor, no início do século passado. Com baixo centro de gravidade, com uma moldura comprimida em aço, motor potente e um radiador em colmeia, este automóvel foi visto como o primeiro da sua geração.



Em Março de 1901, durante a Semana de Nice, os automóveis Mercedes foram praticamente imbatíveis em todas as disciplinas, graças à sua elevada performance. Em Março e Agosto de 1901, apareceram modelos idênticos com 12/16 e 8/11 cavalos. Graças às encomendas suplementares de Jellinek, as instalações da Daimler, situadas em Cannstatt, estavam a funcionar com capacidade máxima.

O nome Mercedes foi registado a 23 de Junho de 1902 e a marca propriamente dita, foi registada a 26 de Setembro. Em Junho de 1903, Emil Jellinek recebeu permissão para auto-intitular-se de Jellinek Mercedes. "Provavelmente, é a primeira vez que um pai se apropriou do nome da sua filha", comentou Jellinek na altura.

A Estrela – A ideia
Desde Setembro de 1902, que a DMG tem utilizado a marca "Mercedes", apesar de não ter existido qualquer alteração nas características da marca. Os filhos de Gottlieb Daimler, Paul e Adolf, recordam-se do seu pai ter usado a estrela de três pontas como símbolo.
Durante o período de 1872 a 1881, Gottlieb Daimler foi o Director Técnico da Deutz Gasmotorenfabrik. No início da sua carreira, marcou numa fotografia a sua casa de Colónia e Deutz, uma estrela de três pontas. Ele assegurou à sua mulher que esta estrela um dia subiria, gloriosamente sobre a sua propriedade.

O Conselho de Direcção da DMG apoderou-se desta afirmação e, em Junho de 1909, registou a estrela de três e de quatro pontas como marcas. Estes logotipos foram legalmente protegidos, mas foi a estrela de três pontas que, a partir de 1910, acabou por ser utilizada tridimensionalmente na parte frontal dos veículos, junto do radiador.

A estrela de três pontas também surgiu como símbolo da Daimler como princípio da motorização universal: “terra, água e ar”. Ao longo dos anos, sofreu uma série de modificações em termos de design. Em 1916, foi inserido um círculo em torno da estrela, na qual estavam quatro estrelas pequenas com a palavra Mercedes ou DMG, nas instalações de Untertürkheim e Berlim-Marienfelde.

Em Novembro de 1921, a DMG aplicou uma protecção na utilização das novas variantes da marca e do logotipo registado – a estrela de três pontas num círculo fechado como design para a grelha do radiador.



A Estrela – O emblema
Em Junho de 1926, as duas fábricas mais antigas de motores a DMG e a Benz & Cie, juntaram-se e fundaram a Daimler Benz AG. Uma nova marca nascia, na qual estava incorporada a estrela de três pontas.

O período após a Primeira Guerra Mundial foi fortemente afectado pela inflação e pelo número de vendas reduzido, especialmente em relação aos bens de luxo, como automóveis de passageiros, acabaram por pesar fortemente sobre a indústria automóvel alemã. Apenas marcas fortes produzidas por empresas  com solidez financeira foram capazes de sobreviver, e muitas delas viram-se forçadas a fusões e a cooperativas. Em 1924, a DMG e Benz & Cie entraram numa joint-venture, com o objectivo de manterem a competitividade ao nível do design, fabrico, compra e venda de publicidade.

Durante este período, apesar destas empresas estarem envolvidas, publicitavam marcas distintas. Em Junho de 1926, dois anos mais tarde, as duas empresas mais antigas de fabricantes automóveis fundaram a Daimler-Benz AG.

Foi criada uma nova marca cujo logotipo mantinha os elementos anteriores: a famosa estrela de três pontas da Daimler-Motoren-Gesellschaft, com a marca nominativa “Mercedes-Benz” cercada por uma grinalda de louro.

A partir desse dia, a marca tem sofrido poucas alterações ao longo dos anos . A estrela de três pontas tornou-se num símbolo universal, sinónimo de qualidade e segurança, por sua vez, o nome Mercedes-Benz está associado à tradição e inovação.

Fonte: mercedes-benz.pt